Empréstimo, cheque especial
ou cartão de crédito: o que vale mais a pena?

Ildamara /// Out, 2019 /// 12:20

Você precisou gastar uma grande quantidade de dinheiro, deixou os juros acumularem ou está planejando um investimento maior que o valor que tem em caixa atualmente e agora está buscando a melhor forma de controlar esse gasto?

Se sim, esse artigo é para você! Fizemos um comparativo entre as taxas de juros do rotativo do cartão de crédito, cheque especial e empréstimo pessoal. Vem conferir!

Como funcionam os juros do cartão de crédito

Quando você não paga toda a fatura do seu cartão de crédito, o restante da cobrança é levado para o mês seguinte como um empréstimo. Este é rotativo do cartão de crédito, que segundo dados do Banco Central (março de 2020), chegou aos juros de 296,1% ao ano para o cliente regular, que pagou pelo menos o mínimo de 15% da fatura, e 345,2% para o irregular, que não o fez.

Se, no pagamento da fatura seguinte, o cliente ainda assim não quitar essa dívida inteiramente, o valor restante do rotativo deve ser dividido em prestações com melhores condições – o chamado parcelamento do cartão. Ele vai comprometer seu limite de crédito mas tem taxas menores que as do rotativo.

Ainda assim, é importante tomar cuidado! Em março de 2020, a taxa média de juros anuais do cartão de crédito parcelado chegou a 186,5% (dados do Banco Central). Isso significa que, se você pagar sempre em dia, ao longo de um ano a sua dívida de R$ 1.000,00 vai acabar te custando R$ 2.865,00. O melhor ainda é buscar outra alternativa mais justa considerando taxas e prazos ideais para você.

As taxas do cheque especial

O cheque especial é a segunda modalidade de empréstimo mais cara do mercado, atrás somente do cartão de crédito. Ele funciona como um “respiro” disponível na conta corrente de modo que se você gastar mais do que o débito disponível em conta, ele cobre o restante do valor.

Mas essa cobertura vem com grandes juros que dificultam bastante a saída desse negativo. De acordo com os mesmos dados citados anteriormente, em março de 2020, a taxa média era de 130% ao ano. Ou seja, ao longo de um ano, uma dívida de R$ 1.000,00 se torna R$ 2.300,00.

Além disso, a cobrança é debitada diretamente da sua conta, fazendo com que o dinheiro que você recebe possa ser utilizado para pagar a dívida – e, se não for o suficiente, os juros continuarão somando sobre o valor restante.

Empréstimo pessoal – uma alternativa mais econômica

O empréstimo pessoal é uma modalidade que costuma ter taxas bem menores, variando conforme o contratante. Além das taxas, uma vantagem que ele tem sobre as opções anteriores é que, por ser um valor planejado, analisado e pré-aprovado, costuma ser muito mais viável pagá-lo, evitando que se torne uma bola de neve.

De acordo com dados de 2020 do Banco Central, o empréstimo pessoal apresentou uma taxa média de juros anuais de 94,7% ao ano.

Comparando com as outras modalidades e utilizando o mesmo exemplo, um empréstimo de R$1.000,00 teria um custo total de R$ 1.957,00. Ou seja, uma opção muito mais em conta. Por isso, atenção! Antes de contratar qualquer modalidade de crédito, pesquise e compare todas as opções.

☎ Ligue – contador: (53)3235-7578

Ildamara E. Silveira

Ildamara E. Silveira

Contadora - Proprietária do Grupo IES
CRC

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

Contabilidade Estratégica

Com o Grupo IES - Contabilidade, você tem a garantia de alavancar o crescimento de sua empresa.